Indicando séries exclusivas da Netflix




É difícil esbarrar com alguém que nunca tenha ouvido falar na tal da Netflix, mas, para resumir, é tipo um pacote de TV que você paga todo mês com um conteúdo fixo e um conteúdo que se atualiza de tempos em tempos. O conteúdo fixo se trata das produções exclusivas da Netflix. 

Como as empresas de serviços de TV a cabo estão caindo em cima - preços caríssimos por programações cada vez mais acessíveis em outros meios e de graça -, a Netflix ganhou bastante espaço e como todo espírito capitalista, a empresa tem começado a falhar com seus clientes e o preço aumenta consecutivamente. A primeira vez que assinei foi há vários anos atrás, quando ela tinha acabado de chegar ao Brasil. O preço mensal da assinatura estava em R$ 15,90 - o plano mais barato; R$ 17,90 - o plano intermediário; e R$ 19,90 - o plano considerado com mais vantagens. Como apenas eu usava, contratei o plano mais barato. Menos de um ano depois, subiu para R$ 16,90, hoje está em R$ 19,90, com os outros planos custando R$ 29,90 e R$ 36,90 respectivamente. 

Entretanto, há pontos positivos a considerar. Como eu disse, tem uma programação exclusiva que é disponibilizada antes na Netflix com a resolução legal e excelentes legendas (digo antes porque, é claro, se procurar, consegue encontrar esse conteúdo em outros sites e aplicativos, mas não com a qualidade encontrada na Netflix.) e eles têm investido bem nisso. Inclusive, alguns títulos exclusivos já conquistaram o coração da galera. 

E é justamente sobre isso que vim falar no tão ensolarado dia de hoje: séries que estão na Netflix que eu vi e que indico dar uma olhada! Vamos conferir?


The Seven Deadly Sins

A primeira temporada já lançada na plataforma conta a história de uma princesa que foge de seu castelo para procurar um grupo de criminosos conhecido como Os Sete Pecados Capitais. Apenas seis integrantes aparecem na primeira temporada e, apesar de seus pecados, eles são muito mais gentis do que os cavalheiros que "trabalham para" a coroa. A segunda temporada está sendo lançada, mas ainda não vi nenhum episódio. 

De qualquer forma, em um primeiro momento, minha opinião é positiva. Mescla aventura e ação com drama e bastante humor. Os personagens são bem cativantes, cada qual a sua forma, e a história principal é contada entrelaçada com outras histórias adjacentes, o que enriquece muito a narrativa. 

Não indico para menores de 12 anos. Afinal, tem várias cenas em que um dos principais está apalpando a princesa.   

Stranger Things

Stranger Things que, de cara, parece uma decepção, demonstra ser uma criação infanto juvenil interessante. A série consegue misturar ficção científica com aventura de uma forma muito envolvente, permitindo que diferentes faixas etárias se divirtam. O clima é de suspense. 

Na primeira temporada lançada - já com segunda prevista -, é contada a história do desaparecimento de um dos meninos do quarteto de amigos que representa o seriado, ao mesmo tempo em que surge uma menina poderosa e diferente que parece saber onde o amigo desaparecido está.

O público da produção, como eu disse, é variável, mas se fosse para determinar uma idade mínima imagino que seria algo por volta de 12 anos também. Isso porque a série tem bastante suspense e algumas cenas ligeiramente mais chocantes que podem assustar crianças mais novas.

13 Reasons Why

A primeira polêmica sobre esta série é que teve Selena Gomez como produtora. Sim, a atriz e cantora que, com todo o carinho, não me conquista em nenhuma de suas carreiras. Talvez, inclusive, acredito que Selena possa ter encontrado algo em que tem mais talento. 

13 Reasons Why é pesado. Pesado com "P" maiúsculo, em negrito, sublinhado e o que mais precisar para chamar sua atenção. Não indico em hipótese alguma para pessoas que tenham instabilidade emocional, estejam sofrendo de depressão ou distúrbios sérios de ansiedade, assim como pessoas que foram vítimas de bullying em níveis mais estratosféricos, como foi o caso de Hannah. Se você passou por alguma dessas situações, procure sim spoilers na internet e verifique de todas as formas possíveis, inclusive com um especialista, se você está preparado(a) para isso. 

A série foi produzida para conscientizar as pessoas sobre o bullying e sobre como existem atitudes que parecem bem simples para alguns que podem destruir o mês inteiro de uma pessoa. A história de Hannah começa com sua morte - uma jovem bonita, de dezessete anos e com tanto potencial para ser uma pessoa maravilhosa. 

Muitas pessoas comentaram sobre a série nas redes sociais, nas rodas de amigos... Eu tive o bom senso de esperar a febre mais tensa passar e as conversar urgentes cessarem antes de tocar no assunto. Ouvi/Li diversas pessoas dizendo que estavam conscientes, que não faziam nada daquilo e "que não achavam ter sido responsáveis pela morte de nenhuma Hannah Baker". E só essa construção frasal já me informava que, infelizmente, para algumas pessoas, nem uma tatuagem na testa dizendo que ela é um peso para a sociedade ajudaria. 

Se você acha que pode ter feito algo que prejudicou alguém e se arrepende por isso, procure um amigo, um familiar ou especialista e converse. Exponha em palavras seus atos e seus sentimentos e tente todo dia mudar de atitude. Se você está sofrendo, não hesite mesmo em procurar ajuda. A página do Facebook da Ovelha está novamente disponível e você pode conversar comigo por lá se quiser. Basta CLICAR AQUI. Se preferir, entre em contato comigo por lá ou por aqui que passo um contato mais pessoal. Mas SEMPRE procure ajuda! 

Shadowhunters



Da seleção que fiz, Shadowhunters tem sido a minha série predileta. Cassandra Clare que me desculpe, mas gosto mais do seriado do que dos livros. Diferente do filme "Cidade das Cinzas", que seria uma tentativa de ter a história do primeiro livro adaptada, a série teve uma escolha bem mais criteriosa e bem-sucedida. 

A primeira temporada já foi toda lançada na plataforma, a segunda encontra seu final em julho pelo que entendi. A terceira já foi confirmada, graças! Em um primeiro momento, Clary - a personagem principal - é introduzida no Mundo das Sombras, descobre que é uma Shadowhunter, cria conexões com Jace, Alec e Isabelle - os Shadowhunters que mais aparecem na produção - e também dá vida ao Submundo, mostrando vários feiticeiros, lobisomens, seelies... Enfim, é uma reprodução boa, com uma trilha sonora excelente e muito potencial. Foi através dela que conheci uma artista chamada Ruelle, da qual me viciei em várias músicas. rs

Aparecem monstros (o do primeiro episódio é muito malfeito, que isso! rs) e, de vez em quando, rola umas cenas sensuais, umas coisas não muito adequadas para crianças. Então, vamos manter a idade mínima de 12 anos. 

E vocês? Assistem a quais séries exclusivas da Netflix?

Lembrando que esta postagem não é patrocinada pela Netflix ou tem qualquer relação monetária.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

 
Blog © Desenvolvido por Gabi Mello e Liliana Lacerda
voltar para o topo